Notícias

Defesa da Indústria

Startups oferecem ajuda a Brumadinho

ABDI vem à FIEMG para construir novas possibilidades de utilização das tecnologias startup pela indústria

Por Talita Boutros

28/01/2019 19:22:23

 Atualizado em - 28/01/2019 19:22:23

Startups oferecem ajuda a Brumadinho

/ Foto: Sebastião Jacinto Júnior

O presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Guto Ferreira, esteve nesta segunda-feira, dia 28/01, na FIEMG para construir novas possibilidades de utilização das tecnologias startup pela indústria.  

A ABDI convocou, no último sábado, dia 26/01, startups para ajudar nas ações de resgate em Minas Gerais. O apelo foi divulgado pelas redes sociais. Mais de 150 empresas enviaram mensagens após campanha para que startups e empresas pudessem disponibilizar inteligência e tecnologias para auxiliar na tragédia gerada pelo rompimento da barragem em Brumadinho (MG). Especialistas das mais diversas áreas também se colocaram à disposição para ajudar.

Guto Ferreira, presidente da ABDI, afirma que veio a Belo Horizonte para construir novas possibilidades de utilização das tecnologias startup pela indústria, em um primeiro momento, a de mineração, mas estendendo para outras indústrias. “Nada mais correto do que procurar a Casa da Indústria em Minas que é a FIEMG, e agora também fortalecer uma parceria com o FIEMG Lab 4.0, que é o grande centro de startup de Minas Gerais”, diz.

Para Gustavo Macena, superintendente do IEL/MG e de Ambiente de Negócios da FIEMG, a parceria com a ABDI é exitosa pelo fato de ser uma agência nacional, que tem prestígio no cenário da inovação, das startups e da indústria. “O que nos deixa mais feliz e motivado é que eles encontraram no Sistema FIEMG e no FIEMG Lab 4.0 uma plataforma de inovação aberta, um hub de inovação da indústria, com as características que podem transformar a indústria de Minas e do Brasil, através das startups”, argumenta. Macena ressalta que o sucesso da plataforma é o suporte dado pelo CIT SENAI FIEMG, uma vez que lá é um centro de pesquisa e laboratórios que dão consistência em diversas áreas. “É a tradição e a pesquisa com a inovação e a velocidade”, diz Macena.

Sobre a tragédia de Brumadinho, Guto Ferreira diz que existem tecnologias trabalhando desde o reconhecimento por drones de segurança, manutenção das barragens, até mesmo na localização de corpos por meio de cruzamento de sinais com a última localização da pessoa. “As startups já estão ajudando a Vale neste primeiro momento e esperamos que em um segundo e terceiro momentos elas possam ajudar na manutenção e prevenção de mais de 450 barragens que tem no estado”, afirma.

Galeria