Notícias

Internacional

Parcerias diversas entre Minas Gerais e Peru

Embaixador do Peru no Brasil vem à FIEMG ampliar oportunidades de negócios

Por Talita Boutros

10/05/2019 16:39:06

 Atualizado em - 10/05/2019 16:39:06

Parcerias diversas entre Minas Gerais e Peru

/ Foto: Sebastião Jacinto Júnior

A FIEMG recebeu nesta sexta-feira, dia 10/05, a visita do embaixador extraordinário e plenipotenciário da República do Peru no Brasil, Javier Raúl Martín Yépez, do cônsul geral do Peru em Brasília, Max Hernandez, e do cônsul honorário do Peru em Belo Horizonte, David Antonio Guzmán Chumo.

O encontro teve como foco os temas de promoção do comércio, investimentos, economia, turismo, cultura e gastronomia. Em sua primeira vez em Minas Gerais, o embaixador do Peru falou das características do seu país e as similaridades com o estado, como a mineração. “Para nós é muito importante essa reunião com a FIEMG por conhecermos o potencial industrial de Minas Gerais e o trabalho já estruturado pela entidade”, diz.

Martín Yépez apresentou possíveis oportunidades de expansão internacional para empresas mineiras, em diversas áreas, no Peru e convidou indústrias do setor produtivo para conhecerem a Perumin, segunda maior feira de mineração do mundo, que acontece em setembro. “Estamos totalmente comprometidos em trabalhar e incrementar nossa parceria econômica e comercial com o estado”, ressalta o embaixador.

Minas e o Peru

O comércio bilateral em 2017 totalizou US$ 476 milhões, sendo US$ 138 milhões em exportações de Minas Gerais e US$ 337 milhões em importações.

Os principais segmentos exportadores foram aço e produtos da metalurgia US$ 99 milhões (72%), veículos e material de transporte US$ 8,2 milhões, (6%) e alimentos (5,2%). Das importações destaque para minérios US$ 266 milhões (79%), especialmente zinco, e catodos de cobre US$ 39 milhões (11,8%). 

Segundo Fabiano Soares Nogueira, presidente do Conselho de Política e Mercados Internacionais, a mineração é um setor essencial para Minas Gerais e o que temos de mais semelhante com o Peru. Mas o empresário ressalta que o estado tem muitas outras potencialidades para oferecer ao país, como a gastronomia e a indústria têxtil.  

Durante a reunião, o embaixador ressaltou a vontade do Peru em oferecer ao Brasil uma passagem para o Pacífico. “Isso pode vir a resolver o problema brasileiro em relação à Ásia. Nós hoje temos muita dificuldade para exportação e acessar o mercado asiático. Podemos ser inseridos no comércio mundial”, argumenta Nogueira.

A assessora da Presidência, Martha Lassance, pontou sobre o Acordo de Ampliação Econômico-Comercial e a necessidade de sua internacionalização. O acordo foi assinado em 2016 e tem como objetivo disciplinar investimentos, serviços e compras governamentais. O mercado de compras governamentais do Peru é estimado em US$ 12 bilhões. 

Este acordo permitirá que empresas dos dois países participem de compras públicas e de licitações nos dois países. A previsão é de que ele entre em vigor ainda neste ano. Com o acordo, empresas brasileiras não precisarão mais depositar a garantia de 5% do valor das contratações.

O ATA Carnet também esteve na pauta do encontro. Rebecca Macedo, gerente do Centro Internacional de Negócios da FIEMG, ressaltou a importância do documento para o setor empresarial, mas também para pessoas físicas. O Peru ainda não aceita. O ATA Carnet é um documento aduaneiro válido internacionalmente que permite a exportação e a importação temporária de bens, livre de impostos de importação, pelo período de um ano.  Este documento é emitido pelo Brasil e aceito em 77 países a um custo pré-determinado, de acordo com o valor do produto a ser exportado. É o passaporte que simplifica as etapas de exportação e importação temporária nos países em que for apresentado, oferecendo agilidade e segurança ao desembaraço aduaneiro de seus bens.

O ministro Matias Antônio Senra de Vilhena, do Escritório de Representação do Ministério das Relações Exteriores em Minas Gerais – EREMINAS, também participou da reunião.

SJJ_4477.JPG