Especiais

Tecnologia e inovação

7 maneiras de gerar inovação nas indústrias

Prática que as aproxima das startups

Por Renato Delboni

23/04/2019 18:18:36

 Atualizado em - 23/04/2019 18:28:57

7 maneiras de gerar inovação nas indústrias

Os caminhos para as empresas se tornarem ou se manterem competitivas e crescerem passam, inevitavelmente, pela inovação. Inovação extrapolou o setor de pesquisa e desenvolvimento das empresas e centros de estudos científicos e tecnológicos. Esta palavra-chave se tornou unânime e a necessidade de inovar, pilar de qualquer tipo de negócio.

Assim, está presente nas considerações e decisões estratégicas das indústrias. E como inovação é um elemento de constituição no DNA das startups, a aproximação das duas vertentes do empreendedorismo é o movimento mais acertado no horizonte da nova economia e da indústria 4.0. Esse futuro que já é hoje.

Inovação, ou a capacidade de trazer coisas novas, em diferentes aspectos, maneiras ou processos, de alto valor e replicável em escala, tem inúmeras aplicações para as indústrias, vai além da concepção de novos produtos e serviços ou novos atributos a produtos e serviços existentes.

Você já considerou as muitas formas de inovar na indústria? Abaixo elencamos 7 tipos de inovação que não dependem de mudanças necessariamente disruptivas.

 

1. Inovação de Mercado

Ampliar a perspectiva e o alcance da empresa para novos setores e localidades e outros perfis de consumidores. Uma indústria pode manter seu portfólio de produtos e processos inalterados e, por exemplo, passar a atender nichos de mercado concomitantemente, promovendo pequenas adaptações.

 

2. Inovação na Organização

Redesenhar a estrutura organizacional, rearranjar, fundindo e desmembrando departamentos ou criando novas divisões de negócios. Reestruturar para melhorar o fluxo de comunicação entre núcleos de trabalho e facilitar a tomada de decisões em torno do negócio.

 

3. Inovação em Processos

Remodelar parte do processo interno da empresa, produtivo ou administrativo, a fim de gerar mais eficiência, reduzir custos, ampliar qualidade, produzir todo tipo de efeitos positivos. Pode derivar da introdução de nova tecnologia, mas muitas inovações em processos decorrem da revisão de procedimentos.

 

4. Inovação na Cadeia de Valor

Descobrir novas formas de interagir com empresas que trabalham com a construção de valor, incluindo parceiros, fornecedores e clientes. A sensibilização com demandas e valores vigentes na sociedade e em determinados grupos que venham agregar muito valor ao negócio pode ser materializada por meio de novos relacionamentos e alianças.

 

5. Inovação na Estratégia

Uma maneira de inovar sem alterar produtos é redefinir a estratégia geral da empresa. A busca por modelos de negócio diferentes, reconfiguração do planejamento, objetivos e metas.

 

6. Inovação de Marca e Imagem

Redefinir os elementos que refletem a identidade da empresa e de seus produtos, com estratégias de reposicionamento de mercado, em conjunto com iniciativas de marketing.

 

7. Inovação de Valor

Criação de valor é mais do que desenvolver novos produtos ou serviços, é criar mais maneiras de solucionar problemas do cliente, sanar suas dores ou atender suas necessidades. Com foco no cliente e naquilo que é relevante para ele, novas pontes são estabelecidas.

 

Pode-se dizer que a aplicação do pensamento inovador é infinita. O limite virtual estará sempre na capacidade de idealizador e visionário dos empreendedores, sua habilidade de projetar cenários e se colocar em múltiplas perspectivas. É possível pensar em muitas formas de inovar: na plataforma, na presença, no posicionamento, no relacionamento comercial, na gestão de pessoas, na atração de talentos, na cultura interna, nas finanças, nas lideranças, na sustentabilidade, na complementaridade com outros negócios.

Esta última, inclusive, traduz a viabilidade da coexistência construtiva das startups com as indústrias. Pela complementaridade, fechando negócios B2B ou firmando parcerias em programas de inovação aberta, toda a aptidão para idealizar, prototipar e testar soluções inovadoras próprias da dinâmica de aceleração nas startups pode estar a serviço da competência, da infraestrutura, do aparato tecnológico e da produção em escala das indústrias. As duas trabalhando juntas para realizar transformação efetiva na nova economia, dentro da chamada quarta revolução industrial.